Adoradores, fãs e apaixonados pelo mundo do futebol.

É com muito orgulho e dedicação apresento meu blog a vocês apaixonados por futebol,nacional e internacional.Sejam bem vindos.Matérias de jogadores dos 4 cantos dos mundo.

domingo, 1 de março de 2009

Seleção da América do Sul de todos os tempos.




Goleiro: Ubaldo Fillol - Argentina
Um dos melhores goleiros argentinos da história do futebol argentino. Jogou em clubes como Quilmes - Argentina ( 1969-70), Racing Club - Argentina ( 1971-74 ), River Plate - Argentina ( 1974-83 ) onde viveu a maior fase da carreira sendo tetracampeão argentino,  Argentinos Jr- Argentina  ( 1983 ), Flamengo - Brasil ( 1984-85 ), Atlético de Madrid - Espanha ( 1985-86 ), Racing Club - Argentina ( 1987-88 ) e encerrou a carreira no Vélez Sarsfield - Argentina ( 1989-90 ).
Prêmios pessoais:
Melhor Jogador Argentino do Ano: 1977
Eleito pela AFA entre os 11 para a Seleção Argentina de todos os tempos.
Pela Seleção da Argentina foi campeão da Copa do Mundo FIFA 1978 na Argentina.


Lateral Direito: Carlos Alberto Torres - Brasil - In Memoriam
Considerado o melhor lateral direito da história do futebol brasileiro até hoje, sul-americano e um dos mundo, Carlos Alberto Torres foi um baita jogador. Iniciou a carreira em 1963 no Fluminense do Rio de Janeiro onde atuou até 1966. Depois se transferiu para o Santos F.C jogando ao lado de Pelé, Pepé, atuando em 445 jogos ficando até 1971.Nesse mesmo ano foi para o Botafogo do Rio de Janeiro. Entre 1974 a 1977 jogou novamente no Fluminense do Rio de Janeiro e logo após no também carioca Flamengo. Em 1977 foi jogar no estrelado New York Cosmos dos Estados Unidos junto com Pelé, ficando até 1980. Em 1981 jogou no Califórnia Surf e em 1982 pelo New York Cosmos novamente onde encerrou sua longa e vitoriosa carreira no futebol.
Pela Seleção Brasileira jogou de 1958 a 1970 num total de 53 jogos e 8 gols, sendo que foi o capitão do Tricampeonato mundial em 1970 na Copa do Mundo FIFA no México.
Após se aposentar como jogador Carlos Alberto Torres foi técnico de diversos clubes como Flamengo, Fluminense, Corinthians, Atlético Mineiro , todos do Brasil e também de clubes no exterior como Miami Freedom dos Estados Unidos, Once Caldas e Union Magdalena da Colômbia, Monterrey e Tijuana e Querétano do México, e seleções de Omã e Azerbaijão.
Faleceu em 25 de outubro de 2016 aos 72 anos no Rio de Janeiro.


Zagueiro: Elias Figueroa - Chile
Considerado o melhor jogador chileno de todos os tempos, um dos melhores sul-americanos e mundial também. Quem viu ele jogar fala que era o craque da zaga, sabia jogar como ninguém. Iniciou a carreira em 1964 pelo Santiago Wanderers do Chile e foi emprestado nesse mesmo ano para o Unión La Calera também do Chile atuando em 30 jogos. Voltou ao Santiago e ficou até 1966 disputando ao todo 54 jogos. Em 1967 se transfere para o Penharol do Uruguai ganhando 2 títulos do Campeonato Uruguaio (1967 e 1968) ficando no clube até 1972 com 214 jogos e 6 gols. Seu futebol vistoso chamou a atenção do Internacional de Porto Alegre do Brasil onde viveu a melhor fase da sua carreira,penta-campeão gaúcho 1972, 1973, 1974, 1975 e 1976, bi-campeão brasileiro 1975 e 1976, foi jogando pelo Internacional que Elias Figueroa foi eleito Futebolista Sul-Americano do ano de 1974, 1975 e 1976, Melhor defensor Sul-Americano do ano 1972, 1973,1974, 1975 e 1976, Melhor Zagueiro do Mundo em 1974, 1975, 1976 e 1977, Bola de Ouro do Campeonato Brasileiro em 1972 e 1976, Bola de Prata do Campeonato Brasileiro em 1972, 1974, 1975 e 1976 entre outros diversos títulos num total de 336 jogos e 26 gols. Em 1977 voltou para o Chile para atuar pelo Palestino e deu sorte ao time pois foi campeão do Campeonato Chile em 1977 e da Copa do Chile em 1978, ficando até 1980 dsputando 118 jogos e marcando 6 gols. Em 1981 foi jogar nos Estados Unidos pelo Fort Lauderdale Strikes jogando 22 jogos. Nesse mesmo ano volta para o Chile agora para defender o Colo-Colo se aposentando depois de 17 partidas em 1982. 
Pela Seleção disputou 47 jogos, fez 2 gols entre 1966 a 1982, disputando 3 Copas do Mundo, 1966 na Inglaterra, 1974 na Alemanha e em 1982 na Espanha. 
Toda vez que surge um zagueiro promissor no Chile ou na América do Sul as comparações com Elias Figueroa são inevitáveis.


Zagueiro: Daniel Passarella - Argentina
Outro ótimo zagueiro da história do futebol mundial além claro de de ser um dos melhores jogadores da história do futebol argentino. Daniel Passarella iniciou a carreira em 1971 pelo Sarmiento da Argentina disputando 36 jogos e marcando 9 gols até 1973. Em 1974 se transfere para o poderoso River Plate da Argentina onde viveu a melhor fase da carreira  ganhando 6 campeonatos argentinos e ganhando vários prêmios individuais como Futebolista do Ano na Argentina em 1976. Foram 226 jogos e 90 gols, ótima média de gols a um zagueiro. e ficou até 1982 onde se transfere para a Fiorentina da Itália ficando até 1986 disputando 109 jogos e marcando 26 gols. Em 1986 se transfere para a Internazionale de Milão também da Itália atuando 44 jogos e marcando 9 gols, ficando até 1988 onde na segunda metade volta para a Argentina para defender novamente o River Plate, disputando 32 jogos e 9 gols se aposentando em 1989.
Pela Seleção Argentina Daniel Passarella entrou para a história participando das 2 conquistas da Copa do Mundo FIFA em 1978 disputada na Argentina e em 1986 disputada no México. Nessa 2ª Copa jogou junto com Diego Armando Maradona.
Iniciou a carreira de técnico em 1989 e passou por clubes como River Plate da Argentina, Seleção Argentina, Seleção Uruguaia, Parma da Itália, Monterrey do México e Corinthians do Brasil.


Lateral Esquerdo: Nilton Santos - Brasil - In Memoriam
Considerado não somente o melhor lateral esquerdo do Brasil, como também o melhor sul-americano e um dos melhores do Mundo. Conhecido como" A Enciclopédia do Futebol " por seu futebol dinâmico, foi um dos primeiros laterias a subir para o ataque e servir os atacantes. Atou em apenas 1 clube em toda a carreira o Botafogo do Rio de Janeiro do Brasil entre 1948 a 1964 disputando incríveis 729 partidas e marcando 11 gols. Foi campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1962 e 1964 e 4 vezes campeão do Campeonato Carioca.
Pela Seleção atou entre 1949 a 1962 participando das Copas do Mundo FIFA de 1950 ( onde o Brasil perdeu a final em casa  para o Uruguai e calou 200.000 pessoas no Maracanã , dizem que poderia ter entrado naquele jogo e o resultado final poderia ter sido diferente, de 1954 na Suiça, em 1958 na Suécia onde o Brasil ganhou sua 1ª Copa e por fim em 1962 no Chile e o Brasil conquistado sua 2ª Copa além do Campeonato Sul-Americano de 1949, Campeonato Pan-Americano de 1952. Ao todo 75 jogos e 3 gols.
Em diversas revistas esportivas espalhadas pelo mundo Nilton Santos é lembrado como um dos melhores laterais esquerdo da história do futebol.
Faleceu em 27 de novembro de 2013 aos 88 anos no Rio de Janeiro.


Meia- Atacante: Diego Armando Maradona - Argentina
Para muitos o 2º melhor da história apenas atrás do brasileiro Pelé, o incontestável melhor jogador argentino da história. Diego Armando Maradona despontou para o futebol no Argentinos Juniors da Argentina em 1976 onde ficou até 1981 sendo campeão metropolitano em 1981 num total de 167 jogos e 116 gols. Passou pelo Boca Jrs também da Argentina ficando apenas 1 temporada com 40 jogos e 28 gols. A seguir foi para a Catalunha para defender o poderoso Barcelona da Espanha ficando apenas 2 temporadas sendo campeão Copa del Rey da Espanha , Supercopa da Espanha e da extinta Copa de La Liga da Espanha todos em 1983 num total de 36 jogos e 22 gols. Em baixa se transfere em 1984 para o Nápoli da Itália onde vive a melhor fase da carreira jogando ao lado dos jogadores brasileiros o atacante Careca e o meia Alemão, os italianos Ciro Ferrara, De Napoli e Carnevale, conquistando 2 campeonatos italianos (1986-87 e 1989-90), 1 Copa da Itália (1986-87), 1 Copa da UEFA (1988-89) e uma Supercopa da Itália (1990) ficando até 1991 com 188 jogos e 81 gols se tornando um dos maiores jogadores da história do Nápoli de todos os tempos. Careca foi um parceiro tão incrível que numa entrevista Maradona foi perguntado qual o melhor jogador que já tinha atuado junto com ele e sem dúvidas respondeu que foi seu amigo brasileiro Careca. Se transfere em 1992 para o Sevilla da Espanha ficando 1 temporada com apenas 26 jogos e 5 gols. Em 1993 volta a Argentina para defender o New Old Boys onde atuou em 5 jogos apenas sem marcar gols. Em 1995 volta ao seu clube de paixão o Boca Jrs onde se aposenta em 1997 com 30 jogos e 7 gols.
Pela Seleção Maradona atuou entre 1977 a 1994 com 91 jogos e 34 gols. Participou de 4 Copas do Mundo FIFA (1982, 1986 onde foi campeão, 1990 onde foi vice-campeão eliminando o Brasil nas oitavas de final e por fim 1994 onde foi constatado e pego no exame anti-doping da Copa. Maradona era rápido e impaclável na arte de fazer gols.




Meia-Atacante: Alfredo Di Stéfano - Argentina - Colômbia - Espanha - In Memoriam
Para muitos foi até melhor que o brasileiro Pelé por sua inteligência e por seu faro de gols. Apelidado de " A Flecha Loira" e "Don Alfredo", Di Stéfano é considerado um dos maiores gênios da história mundial do futebol. Iniciou a carreira em 1945 no River Plate da Argentina mas sem espaço devido ao time dessa época ser conhecido como "A Máquina" ("La Máquinha"em espanhol) que tinha jogadores como Juan Carlos Munhoz e Ángel Labruna, foi emprestado ao Húracan também da Argentina onde foi treinado por Guilhermo Stábile que também era o técnico da Seleção Argentina (foi o 1º Artilheiro de uma Copa do Mundo FIFA em 1930 no Uruguai.) e foi bem com 25 jogos e 10 gols. Em 1947 volta ao River Plate e seu futebol estava cada vez mais aumentando, no River foi campeão argentino 2 vezes (1945 e 1947) com 66 jogos e 49 gols. Em 1949 aceita uma proposta tentadora e se transfere para o Milionários da Colômbia. Lá sucesso total ganhando 4 campeonatos colombianos (1949, 1951, 1952 e 1953), Copa Colômbia (1953) e Pequena Taça do Mundo (1953) ficando até 1953 com 294 jogos e incríveis 267 gols se tornando o maior artilheiro da história do clube. Era cobiçado pelo espanhol Barcelona onde até já havia disputado alguns amistosos que negociava com o River Plate da Argentina até então dono de seu passe segundo o Barcelona. Até que o Real Madrid também se interessou pelo argentino e começou a negociar junto ao Milionários da Colômbia. A partir daí Di Stéfano foi jogar no Real Madrid e a rivalidade entre os dois maiores clubes da Espanha se tornou acirrada, o Barcelona não perdoou a atitude do Real de atravessar o negócio. Pior para o Barcelona que perdeu ali um dos melhores jogadores que a Europa já viu jogar tendo muito sucesso no poderoso time do Real Madrid da década de 60 sendo ao lado de outros craques como o argentino Héctor Rial, o francês Raymond Kopa, Francisco Gento, o brasileiro Didi, onde foi 8 vezes campeão espanhol (1954, 1955, 1957, 1958, 1961, 1962, 1963 e 1964), 2 Copas Latina que reunia clubes da Espanha, Itália, França e Portugal (1955 e 1957), Pequena Taça do Mundo (1956), Copa da Espanha (1962) e os mais importantes tornando o Real Madrid um dos maiores clubes não só da Espanha e da Europa como do mundo conquistando 5 vezes seguidas a Copa dos Campeões da Europa hoje conhecida como Liga dos Campeões da UEFA (1956, 1957, 1958, 1959 e 1960) e a Copa Intercontinental de 1960 hoje conhecida como Mundial Interclubes da FIFA. Graças a esse sucesso é considerado o melhor jogador da história do Real Madrid onde disputou 396 jogos e marcou 307 gols (o 3º maior artilheiro da história do clube). Em 1964 se transfere para o Espanhol de Barcelona onde se aposenta do futebol em 1966 com 60 jogos e 34 gols.
Di Stéfano defendeu ao todo 3 Seleções, a da Argentina onde foi campeão Sul-Americano de 1947 tendo disputado 6 jogos e marcando incríveis 6 gols ( média de 1 gol por jogo), a da Colômbia 4 jogos e nenhum gol e por fim a da Espanha entre 1957 a 1961 com 31 jogos e 23 gols. Di Stéfano se tornou um dos maiores jogadores de todos os tempos que nunca disputaram uma Copa do Mundo FIFA.
Em 1967 se torna treinador sendo sua primeira equipe o Elche da Espanha. Treinou também Boca Jrs da Argentina sendo campeão argentino e da Copa da Argentina ambos em 1969, Valência da Espanha na melhor fase como técnico sendo campeão espanhol em 1971, Sporting Lisboa de Portugal, Rayo Vallecano da Espanha, Castellón da Espanha, Valência novamente sendo campeão da Recopa Européia e da Supercopa Européia ambas em 1980, River Plate da Argentina sendo campeão argentino de 1981, Real Madrid, Valência em sua 3ª e última passagem sendo campeão da 2ª Divisão da Espanha e por fim o Real Madrid onde foi campeão da Supercopa da Espanha em 1990.
Em toda pesquisa feita sobre os melhores jogadores de futebol do mundo Di Stéfano aparece em 4 delas: o de um dos melhores argentinos, um dos melhores sul-americanos, um dos melhores europeus e um dos melhores do mundo.
Foi presidente honorário do Real Madrid.
Alfredo Di Stéfano faleceu em Madrid na Espanha em 7 de julho de 2014.


Meia-Atacante: Roberto Rivelino - Brasil
Um dos melhores meias que já atuaram no Brasil e do mundo. O maior ídolo da história do Corinthians. Roberto Rivelino foi reprovado em testes na Sociedade Esportiva Palmeiras de São Paulo e foi jogar e se tornar ídolo no maior rival o Sport Clube Corinthians Paulista. Tem vários apelidos entre eles Riva, Patada Atômica ( que ganhou na Copa do Mundo FIFA em 1970 no México onde a Seleção Brasileira encantou o mundo e foi a 1ª Seleção Tri-campeã mundial, Garoto do Parque, Reizinho do Parque.
Rivelino iniciou a carreira nos juniores do Corinthians em 1963 sendo que em 1965 já disputava jogos pelo time principal. Infelizmente jogou na pior fase da história do clube onde atravessou o maior jejum de títulos da história, sendo apenas campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1966. Foi emprestado a Portuguesa de Despostos para jogar o 1º jogo do Estádio do Canindé amistoso entre a Portuguesa 2 x  0 FK Saravejo da antiga Iugoslávia ( hoje da Sérvia) sendo um dos gols de Rivelino. Na final do Campeonato Paulista de 1974 entre Palmeiras e Corinthians o Palmeiras se sagrou campeão e todos culparam Rivelino pelo fracasso do Corinthians que foi negociado com o Fluminense do Rio de Janeiro. Pelo clube do Parque São Jorge foram 474 jogos e 141 gols marcados. Sua estréia no Fluminense foi justamente contra o Corinthians no final vitória carioca por 4 x 1 sendo 3 gols dele. Pelo Fluminense atuou até 1978 com 158 jogos e 53 gols sendo campeão do Campeonato Carioca 1975 e 1976. Em 1979 se transfere para o Al-Hilal da Arábia Saudita ficando até 1981 com 57 jogos e 23 gols e campeão saudita de 1978-79 e da Copa do Príncipe Faisal Bin Fahad em 1979-80.
Pela Seleção Brasileira Rivelino atuou entre 1965 a 1978 sendo campeão da Copa do Mundo de 1970 no México e 3º lugar na Copa do Mundo FIFA em 1978 na Argentina. Foram 122 jogos e 43 gols com a camisa do Brasil e da Copa Roca 1971 e 1976.
Depois de se aposentar Rivelino fez diversas propagandas e participou de diversos programas esportivos.

Volante - Meia: Didi - Brasil - In Memoriam 
Valdir Pereira apelidado de Didi foi um dos maiores médios volantes da história do futebol brasileiro e mundial. Apelido de " O Príncipe Etíope do Rancho" pelo escritor e jornalista Nelson Rodrigues (1912-1980). Iniciou sua carreira em 1946 no Americano de Campos no Rio de Janeiro e nesse mesmo ano também jogou no Lençoense de Bariri de São Paulo ficando até 1947. Depois passou por Madureira do Rio de Janeiro onde começou a se destacar. Em 1949  foi para o Fluminense do Rio de Janeiro , clube que jogou por mais tempo e teve mais sucesso e onde os títulos começaram a aparecer como Copa Rio 1952 (torneio internacional), Campeonato Carioca 1951 entre outros. Pelo Fluminense jogou 298 jogos e 91 gols). Em 1956 foi para o rival Botafogo do Rio de Janeiro em sua 1ª passagem pelo clube sendo campeão carioca de 1957. Em 1959 foi jogar no todo poderoso Real Madrid da Espanha do astro argentino Alfredo Di Stéfano, lá ganhou a 1ª Copa do Campeões da Europa pelo time espanhol e o Troféu Ramón de Carranza de 1959, com tantos astro na equipe como o zagueiro espanhol José Santamaria, o ponta direita brasileiro Canário, o húngaro Ferenc Puskas e o atacante espanhol Francisco Gento, Didi não teve sucesso e diz ter sido boicotado por Di Stéfano. Em 1960 voltou ao Botafogo em sua 2ª passagem sendo campeão do Torneio Rio São Paulo 1962 e carioca 1961 e 1962 . Em 1963 foi jogador no Sporting Cristal do Peru sendo jogador e técnico do time ficando até apenas 1 temporada. Entre 1964 e 1965 atuou pelo Botafogo em sua 3ª e última passagem sendo jogador e técnico do time. Em 1965 foi para o México defender o Veracruz também sendo jogador e técnico.E em 1966 se despede do futebol como jogador no São Paulo.
Pela Seleção Brasileira Didi foi só sucesso sendo campeão em vários torneios como Campeonato Pan Americano de Futebol em 1952, Taça Oswaldo Cruz em 1955, 1958, 1961 e 1962, Taça Bernardo O'Higgins 1955 e 1961, Taça do Atlântico em 1956 e os mais importantes Bi-campeão da Copa do Mundo FIFA de 1958 e 1962 ao lado de João Altafini o Mazzola, Nílton Santos, Mané Garrincha, Vavá, Zagallo, Amarildo, Zito, Gilmar dos Santos Neves e Pelé. A imprensa européia o apelidou de "Mr. Football" traduzindo "Senhor Futebol".
Didi foi treinador de diversos clubes e seleções  como Sporting Cristal (Peru) sendo campeão peruano em 1968, Seleção Peru, River Plate (Argentina), Fenerbahçe (Turquia) sendo bi-campeão turco 1974 e 1975 e campeão da Supercopa da Turquia 1974-75, Fluminense sendo campeão carioca de 1976 e do Torneio Viña del Mar em 1976, Cruzeiro sendo campeão mineiro em 1977, Al-Ahli Saudi (Arábia Saudita), Botafogo, Fortaleza, São Paulo, Alianza Lima (Peru), Bangu, Atlético Mineiro e por fim a Seleção do Kwait.
Sempre que se fala em grandes jogadores do mundo da bola Didi é lembrado.
Morreu em 2001 no Rio de Janeiro no Brasil.


Ponta-direita: Garrincha - Brasil - In Memoriam
Considerado por muitos o maior jogador brasileiro de futebol de todos os tempos e o maior ponta direita da história do futebol. Apelidado de Mané Garrincha, Anjo das Pernas Tortas. Seu apelido Garrincha veio da sua irmã fazendo uma associação com um pássaro do mesmo nome. Iniciou sua carreira nos juniores do Esporte Clube Pau Grande do Rio de Janeiro em 1948 e um ex-jogador do Botafogo chamado Arati que talvez foi a pessoa que levou Garrincha para o Botafogo em 1953. No Botafogo ficou até 1965 sendo a melhor fase da carreira  no chamado "Esquadrão Imortal " que tinha o goleiro Manga, Nilton Santos, Didi, Zagallo, Quarentinha , disputando 645 jogos e 245 gols e com diversos títulos como Torneio Rio-São Paulo 1962 e 1964, Taça dos Campeões do Torneio Rio-São Paulo 1961, Campeonato Carioca 1957, 1961 e 1962, Torneio Início 1961, 1962 e 1963 e diversos torneios como Torneio Internacional de Paris 1964, Torneio Pentagonal do México em 1958 e em 1962, Torneio Internacional da Colômbia de 1960, Torneio Internacional da Costa Rica em 1961, Copa Ibero-Americana de 1964 e Panamaribo Cup em 1964. Passou também por Corinthians sendo campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1966, Portuguesa Santista, Junior de Barranquilha (Colômbia), Flamengo, Red Star (França)  e encerrou a carreira em 1972 pelo Olaria.
Pela Seleção Brasileira atuou de 1955 a 1966 com 60 jogos e 16 gols sendo campeão da Copa do Mundo FIFA de 1958 na Suécia e em 1962 no Chile num esquadrão que tinha o goleiro Gilmar dos Santos Neves, os defensores Bellini, Djalma Santos e Nilton Santos, Didi, Mazolla, Zagallo e Pelé.Taça Bernardo O'Higgins 1955, 1959 e 1961, Taça Oswaldo Cruz 1958, 1961 e 1962 e Superclássicos das Américas em 1960 e bastante títulos individuais como Bola de Ouro da Copa Mundo FIFA em 1962, Equipes das Estrelas Copa do Mundo FIFA 1958 e 1962, Segundo Maior Jogador Brasileiro do Século XX, Quarto Melhor Jogador Sul-Americano do Século XX, Oitavo Maior Jogador do Mundo do Século XX, Seleção de Futebol do Século XX.
Morreu em 1983 no Rio de Janeiro.
Até o cinema se rendeu a Garrincha com os filmes Garrincha - A alegria do povo documentário de 1962 pelo autor Joaquim Pedro de Andrade, Mané Garrincha documentário de 1978 de Fábio Barreto e Garrincha: a estrela solitária de 2003 baseado num livro do escritor Ruy Castro.



Meia-Atacante: Pelé - Brasil
Edson Arantes do Nascimento mais conhecido como Pelé é considerado o melhor jogador brasileiro, sul-americano e mundial de futebol. Um craque de bola que recebeu o prêmio "Atleta do Século" dada pelo jornal francês L'Équipe em 1981 e também Melhor Jogador do Século da FIFA em 2000. Pelé iniciou a carreira no Bauru Atlético Clube no interior de São Paulo em 1952 ficando até 1956 quando Waldemar de Brito ex-jogador de futebol e treinador dos profissionais do Bauru o levou ao Santos Futebol Clube para se tornar o melhor jogador de futebol do mundo de todos os tempos com 1116 jogos e incríveis 1091 gols sendo campeão 10 vezes do Campeonato Paulista 1958, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965, 1967, 1968, 1969 e 1973, 4 vezes campeão do Torneio Rio-São Paulo em 1959, 1963, 1964 e 1966, 6 vezes campeão da Taça Brasil (hoje Campeonato Brasileiro) em 1961, 1962, 1963, 1964, 1965 e 1968, Supercopa Sulamericana dos Campeões Intercontinentais em 1968, Recopa dos Campeões Intercontinentais em 1968 e os mais importantes a Taça Libertadores da América em 1962 e 1963 e do Mundial Interclubes de 1962 e 1963. Foi Artilheiro 11 vezes do Campeonato Paulista (1957, 1958 com 58 gols recorde até hoje, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968 e em 1973), melhor jogador da história do Santos com mais jogos e mais gols. Depois de tanto tempo no Santos Pelé aceitou a proposta e foi jogar no New York Cosmos dos Estados Unidos em 1975 ficando até 1977 atuando com outras estrelas do futebol mundial como o zagueiro alemão Franz Beckenbauer , o lateral direito brasileiro Carlos Alberto Torres, o atacante italiano Giorgio Chinaglia e o zagueiro escocês Charlie Atiken. Foi campeão americano em 1977 ano de sua despedida definitiva do futebol com 106 jogos e 64 gols.
Pela Seleção Brasileira Pelé foi um sucesso só deu alegria ao Brasil depois da derrota na Copa do Mundo FIFA em 1950 no Brasil perdendo a final para o Uruguai onde o empate lhe dava o 1º título. Estreio na Seleção em 1957 aos 17 anos sendo tri-campeão mundial vencendo a Copa do Mundo FIFA em 1958 na Suécia, em 1962 no Chile e em 1970 no México.Foi campeão também da Copa Rocca 1957 e 1963, Taça do Atlântico em 1960, Copa Oswaldo Cruz 1958, 1962 e 1968, Taça Bernardo O'Higgins 1959. Ganhou muitos prêmios individuais entre eles Atleta do Século pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), Atleta do Século pela Agência Reuters, Jogador de Futebol do Século pela UNICEF, Jogador de Futebol do Século pela revista France Football, Maior Jogador do Século XX pela IFFHS (Federação Internacional de Futebol e História e Estatística), Maior Jogador Sulamericano do Século XX pela IFFHS entre outros.
Garoto propaganda de diversas empresas de jogos como o antigo Atari, Pilhas Rayovac, Casas Bahia, Bom Bril, Café Pelé, Biotônico Fontoura, Honda, Subway, Faculdade Pitágoras, Casio entre outras.


Seleção da América do Sul de todos os tempos:

Goleiro: Fillol - Argentina 
Lateral Direito:Carlos Alberto Torres - Brasil
Zagueiro: Figueroa - Chile 
Zagueiro: Daniel Passarela - Argentina 
Lateral Esquerdo: Nilton Santos - Brasil 
Meia: Maradona - Argentina 
Meia: Di Stéfano - Argentina 
Meia: Rivelino - Brasil 
Meia: Didi - Brasil 
Atacante: Garrincha - Brasil 
Atacante: Pelé - Brasil 


Nenhum comentário:

Postar um comentário